segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Assistente Social...
Profissional que atua nas expressões da questão social, formulando e implementando propostas para seu enfrentamento, por meio de políticas sociais públicas, empresariais, de organizações da sociedade civil e movimentos sociais. Profissional dotado de formação intelectual e cultural generalista crítica, competente em sua área de desempenho, com capacidade de inserção criativa e propositiva, no conjunto das relações sociais e no mercado de trabalho. Profissional comprometido com os valores e princípios norteadores do Código de Ética do Assistente Social.
Competências e Habilidades
1 - A formação profissional deve viabilizar uma capacitação teórico-metodológica e ético-política, como requisito fundamental para o exercício de atividades técnico-operativas, com vistas à apreensão crítica dos processos sociais numa perspectiva de totalidade;
2 - Análise do movimento histórico da sociedade brasileira, apreendendo as particularidades do desenvolvimento do capitalismo no país;
3 - Compreensão do significado social da profissão e de seu desenvolvimento sócio-histórico, nos cenários internacional e nacional, desvelando as possibilidades de ação contidas na realidade;
4 - Identificação das demandas presentes na sociedade, visando formular respostas profissionais para o enfrentamento da questão social, considerando as novas articulações entre o público e o privado.
Estes elementos estão em consonância com as determinações da Lei n. 8662, de 7 de junho de 1993, que regulamenta a profissão de assistente social e estabelece as seguintes competências e habilidades técnico-operativas:
1 - Formular e executar políticas sociais em órgãos da administração pública, empresas e organizações da sociedade civil;
2 - Elaborar, executar e avaliar planos, programas e projetos na área social;
3 - Contribuir para a viabilizar a participação dos usuários nas decisões institucionais;
4 - Planejar, organizar e administrar benefícios e serviços sociais;
5 - Realizar pesquisas que subsidiem formulação de políticas e ações profissionais;
6 - Prestar assessoria e consultoria a órgãos da administração pública, empresas privadas e movimentos sociais em matéria relacionada às políticas sociais e à garantia dos direitos civis, políticos e sociais da coletividade;
7 - Orientar a população na identificação de recursos para atendimento e defesa de seus direitos;
8 - Realizar estudos sócio-econômicos para identificação de demandas e necessidades sociais;
9 - Realizar visitas, perícias técnicas, laudos, informações e pareceres sobre matéria de Serviço Social;
10 - Exercer funções de direção em organizações públicas e privadas na área de serviço social;
11 - Assumir o magistério de Serviço Social e coordenar cursos e unidades de ensino;
12 - Supervisionar diretamente estagiários de Serviço Social.
(Fonte: Diretrizes Curriculares do Curso de Serviço Social)

O Serviço Social...

Trata-se de uma profissão que, mais do que assistencialismo, exige conhecimentos em várias áreas das Ciências Sociais que proporcionem condições para intervir na realidade das questões sociais. A bagagem para contornar os mais diversos problemas vem de um currículo que contempla várias áreas do conhecimento. Além de disciplinas básicas, como filosofia, psicologia, sociologia, direito e legislação social, estudam-se matérias mais específicas - fundamentos teóricos do serviço social, política social, administração em serviço social, ética e planejamento.
Quem escolhe essa carreira deve estar preparado para encarar a dura realidade de um país com tantas desigualdades sociais como é o nosso. Crianças abandonadas, mendigos ao relento, doentes em busca de uma vaga num leito hospitalar, idosos na fila da previdência social, consumo de drogas, alcoolismo - a lista dos desafios a enfrentar é enorme. Aplicando seus conhecimentos de psicologia, antropologia, Economia, o assistente social procura apontar soluções para as mazelas sociais e orientar os cidadãos sobre os seus direitos. O trabalho costuma ser feito junto a outros profissionais - médicos, advogados, psicólogos ou educadores, numa ação multidisciplinar, em atividades ligadas a setores como habitação, previdência, saúde e saneamento básico.
O Estado é o principal empregador. Contratados por órgãos governamentais, os profissionais vão trabalhar em prefeituras, escolas, creches, hospitais, penitenciárias, varas de justiça da criança e da família, além de outros serviços comunitários. Nas empresas privadas, o campo de ação é mais restrito, embora já estejam surgindo assistentes sociais na área de recursos humanos, para a seleção e treinamento de pessoal, benefícios e acidentes do trabalho.
Texto consultado no Guia de Profissões - edição número 3 - ano de 2000.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário